PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Porto Seguro, 01 de Outubro de 2014
Porto Seguro
+26°C

01/10/2014
por
Delegado garante em 100% prisão dos responsáveis pelas mortes do ex-prefeito Rielson Lima

 

O delegado Élvio Brandão garante em 100% que todos os envolvidos nas mortes de Rielson  serão presos.

Embora tenha se mostrado bastante cauteloso e reticente, estive na semana passada conversando e entrevistando pessoalmente o delegado Élvio Brandão, responsável pelas investigações do assassinato estúpido e covarde do ex-prefeito de Itagimirim, Rielson Lima, e que acaba de completar 60 dias.

Em que pese não possa adiantar nada aos leitores, até porque nada me foi revelado, fiquei bastante impressionado com a simpatia, a seriedade, a disposição e a certeza, garantida por ele,  em 100%, de que os responsáveis pelas mortes em breve serão presos e apresentados à Justiça. “É apenas uma questão de dias. Já avançamos muito e em breve estaremos dando uma satisfação à sociedade e aos familiares”, garante o delegado.

Clique AQUI e ouça a entrevista completa concedida pelo delegado Élvio às nossas duas FMs.  

01/10/2014
por Miro
Ubaldino ainda acredita que a mentira é o melhor meio de enganar o eleitor

Tanto em Vale Verde como em Imbiruçú a prefeitura construiu 20 novas salas nas unidades de saúde, realiza reforma em outras 21 e atualmente constrói mais 11 unidades, além da sede da SAMU.

 

O ex-prefeito Ubaldino Junior realmente não se emenda. Apanha, apanha, perde todas na Justiça, responde a um sem número de processos cíveis e criminais e parece que não aprende nunca.

Ouçam, clicando AQUI, por exemplo, a última das suas mentiras, segundo a qual a prefeita Cláudia Oliveira não teria inaugurado as obras de reforma e ampliação das Unidades de Saúde de Vale Verde e Imbiruçú de Dentro, e que, diga-se de passagem, ficaram coisa de primeiro mundo.

Além da reforma e ampliação para 23 salas – eram apenas 3 e em péssimas condições de uso e higiene – a prefeitura trocou todos os moveis, adquiriu novos computadores e equipamentos, instalou ar condicionado, implantou almoxarifado e fornecimento de remédios, além de estar oferecendo exames laboratoriais e serviços médicos e odontológicos, e que nunca foram, no caso do atendimeno odontologico, oferecidos antes.

A mentira e o depoimento dos moradores

Ocorre que o ex-prefeito, completamente fora de si e fazendo uso de uma política absolutamente ultrapassada, disse em seu programa de rádio – atualmente suspenso por ordem da Justiça Eleitoral – que quem na realidade construiu as unidades de saúde foi seu pai, e que ele as teria reformado, com a prefeita tendo apenas realizado “uma meia água” nas unidades.

Não é o relato dos moradores, como os leitores poderão acompanhar no áudio, e que vai ao ar nesta quarta-feira, a partir das 11 horas, na rádio Brilho do Sol 104,9 e que poderá também  ser ouvida e acessada pelo  (www.brilhodosolfm.com).

Segundo os moradores, o posto médico de Vale Verde estava abandonado há 30 anos e o de Imbiruçú há 26 anos. Pergunto: quem está a mentir?  Os moradores ou o ex-prefeito desesperado e fanfarrão?

 

 

29/09/2014
por Miro
Justiça Eleitoral retira programa de Ubaldino do ar

Inelegível, juntamente com seu irmão, pai  e familiares, o ex-prefeito vem acumulando sucessivas derrotas na Justiça. 

Já havia passado da hora e não poderia mesmo ser diferente, diante da incessante onda de calúnias, mentiras e acusações inverossímeis que eram  constantemente lançadas no ar pelo ex-prefeito Ubaldino Júnior em sua rádio palanque, contra o ex-prefeito Robério Oliveira e sua esposa, a prefeita Cláudia Oliveira.

É que por decisão judicial do juiz eleitoral André Strogenski, proferida nesta segunda feira, o programa Livre, comandado pelo ex-prefeito, e que sempre desrespeitou as regras eleitorais e os princípios da isonomia e paridade de forças nas campanhas eleitorais, finalmente foi retirado ar, só devendo a voltar a ser veiculado após as eleições.

Isso, claro, sem falar nas várias multas e processos cíveis, eleitorais e criminais aos quais o ex-prefeito certamente irá responder. Parabéns, mais uma vez, à coragem do juiz e da integrante do Ministério Público Eleitoral, dra. Jaqueline Magnavita.

Quem procura.sempre acha. A casa de Ubaldino está caindo há muitas horas. Será que só ele não percebe isso? 

 

29/09/2014
por Miro
Ubaldino sofre nova derrota eleitoral e juiz fixa multa de 50 mil reais diários em caso de descumprimento da decisão

O ex-prefeito vive uma verdadeira obsessão contra o candidato Robério Oliveira.

Cada vez mais desgastado e perdendo ainda mais credibilidade a cada dia que passa, o ex-prefeito Ubaldino Junior foi novamente condenado, pela Justiça Eleitoral, em caráter liminar, a retirar do ar, sob pena de multa diária de R$ 50 mil, os vídeos ofensivos e difamatórios usados contra o ex-prefeito Robério Oliveira, bem como foi proibido pela Justiça, em outro processo, a citar o nome do ex-prefeito em sua rádio palanque, em virtude da isonomia e do princípio de igualdade que deve prevalecer entre os postulantes a cargos eletivos.

Verdade é que o ex-prefeito tem feito uso ostensivo da sua FM em favor dos seus candidatos, em detrimento das demais candidaturas. “isso é um absurdo, este rapaz deveria olhar para o seu passado antes de jogar pedra no telhado dos outros. O meu ao menos não é de vidro, tive minha candidatura deferida pela unanimidade do TRE e não sou ficha suja, tão pouco estou afastado da vida pública. Infelizmente, nosso ex-prefeito não respeita a disputa e as regras do jogo democrático, sempre afrontando a legislação eleitoral. Ninguém me vê ou me ouve falar mal deste rapaz, enquanto ele nos ataca diariamente, sempre com inverdades e calúnias. Deste jeito, ele vai morrer pobre e cansar de responder a tantos processos e a pagar tantas multas, porque não posso aceitar uma conduta criminosa como a que ele vem mantendo conosco desde que Cláudia ganhou a eleição. Mas tudo isso é desespero, é claro, porque ele sabe muito bem que vai tomar uma surra de votos muito grande nesta eleição. No fim, não vai restar outro alaternativa a Justiça que não seja fechar a rádio" declarou Robério.

Decisão atinge a todos que compartilharem o vídeo criminoso

Importante lembrar que a decisão do juiz Relator Salomão Viana, do TRE baiano, é extensiva a todos os demais leitores ou partidários do ex-prefeito que compartilharem o vídeo, e que acusa, de maneira ofensiva e leviana, o ex-prefeito Robério de práticas de crimes pelos quais ele não reponde e nem lhe pesam condenações.

Ainda segundo a decisão, a liminar concedida não exclui o ex-prefeito dos crimes de calúnia, injúria e difamação, bem como a reparação por danos morais na esfera civil.

Veja parte da decisão

DE C I S Ã O

Trata-se de pedido de direito de resposta apresentado por JOSÉ ROBÉRIO BATISTA DE OLIVEIRA contra JOSÉ UBALDINO ALVES PINTO JÚNIOR, sob o fundamento de divulgação de fatos sabidamente inverídicos e criação de estados mentais emocionais ou passionais na opinião pública, por meio de sítio eletrônico hospedado na rede social facebook.

D E C I D O.

O caso é para concessão liminar da medida de urgência postulada.

Com efeito, a análise das imagens contidas na mídia que instrui a petição inicial evidencia que o conteúdo do vídeo contido na página pessoal do representado, hospedada na rede social facebook, por meio do link . facebook. com/pages /Ubaldino -Junior /271369812905892 #!/video.php ?v=397180853762584& set=vb.100004120186537&type=2&theater, tem forte potencial para configurar propaganda eleitoral negativa, de caráter lesivo da imagem do candidato representante. 

É que atribuir a quem quer que seja a pecha de "gangster" , "bandido" ou vincular alguém a expressões como "o lugar do Senhor Robério não é na Assembléia e sim na cadeia", desborda - e muito! - os limites da razoabilidade e da mera crítica política para constituir - tudo está a indicar - ofensa à honra e à imagem do candidato junto ao eleitorado que acessa ou pode vir a acessar tal conteúdo, seja de forma direta, mediante a visita à página, seja de forma indireta, por meio da visualização, em páginas de terceiros que efetivamente tenham acessado o perfil hostilizado, do que se convencionou chamar, pelos usuários da aludida rede social, "curtidas" ou "comentários" . 

Ademais, tudo também está a indicar que o caso consubstancia o uso deliberado de informação pejorativa, que ultrapassa, em muito, os limites do embate político, desviando-se para ofensas pessoais, com a construção de um quadro fático fortemente indicativo da prática de propaganda eleitoral não tolerada pelo sistema jurídico (Código Eleitoral, art. 243, IX).

Está presente, pois, a todas as luzes, o fumus boni juris.

No que tange ao periculum in mora, é inquestionável que irregularidades como as indicadas - caso venha o Poder Judiciário a concluir, em definitivo, por sua existência - guardam forte potencial para causar reflexos na higidez do pleito e na paridade entre os candidatos, na medida em que a continuidade da veiculação de tal propaganda guarda grande potencial para denegrir de forma irremediável a imagem do candidato perante o eleitorado.

O caso é, portanto, para imediata suspensão da exibição, na rede social representada, da matéria hostilizada, com vedação do acesso a ela, única forma de conter a continuidade dos danos que, tudo indica, estão sendo causados. Ao lado disto, é necessário, também, que seja excluída, neste momento, qualquer forma de acesso que permita a visualização acessória da matéria por meio de outros perfis da rede social, em razão, por exemplo, dos chamados "comentários" e "curtidas" .

Diante do exposto, em análise calcada em cognição sumária, defiro a tutela de urgência postulada, para o fim de determinar à parte ré que adote, no prazo de 24 horas, todas as providências indispensáveis para que seja suspensa a publicação destacada na petição inicial, disponível no link: . facebook. com/pages /Ubaldino -Junior /271369812905892 #!/video.php ?v=3971808537625 84& set =vb.100 00412 0186 537&t ype=2 &theater, bem como para que se abstenha de veicular o referido vídeo em qualquer outra rede social ou página eletrônica hospedada na rede mundial de computadores.

Em caso de descumprimento, total ou parcial, da obrigação judicialmente imposta, sujeitar-se-á(ão) o(s) responsável(eis) ao pagamento de multa diária, que arbitro em R$50.000,00, (cinquenta mil reais) e que incidirá até que seja cessada a prática dos atos caracterizadores do descumprimento, tudo sem prejuízo da responsabilização processual e, se for o caso, criminal.

Demais disso, ainda na hipótese de descumprimento ou de criação de embaraços à efetivação deste provimento, as pessoas naturais responsável(is) - quem quer que oponha obstáculos à execução desta ordem, mesmo que não integre a relação jurídica processual na qualidade de parte - sofrerão as sanções legais cabíveis, de acordo com a conduta pessoal que venham a adotar. Neste caso, deverá a parte autora indicar, com precisão, os nomes completos das pessoas a quem deve ser atribuída a responsabilidade pela resistência ou pela criação de embaraços, bem como os endereços em que podem elas ser encontradas, de modo que, vindo a ser constatada a responsabilidade, seja reputado ocorrido, em relação às mencionadas pessoas naturais, ato atentatório ao exercício da jurisdição, com a sua consequente responsabilização pessoal, nos planos criminal, civil e processual (CPC, art. 14, parágrafo único).

Proceda-se à imediata notificação da parte ré, para que se defenda no prazo de 24 horas (Lei n. 9.504/97, art. 58, § 2º).

Após, encaminhem-se os autos ao Ministério Público Eleitoral.

Intime-se. 

Salvador, BA, 27 de setembro de 2014.

Salomão Viana

Juiz Relator

29/09/2014
por Miro
Prefeita inagura dois postos de saúde neste domingo

 

E a prefeita Cláudia continua fazendo a diferença, adontando a filosofia de que nada supera ao trabalho. Neste domingo tive a oportunidade de acompanhá-la, juntamente com a sua comitiva, na inauguração de dois belos e modernos Postos de Saúde em Vale Verde e  na Agrovila, ou Imbiruçu de Dentro..

O que vi realmente me impressionou, em termos do bom gosto, equipameentos todos novos, a qualidade das obras, do conforto, comodidade, amplas salas de atendimento, estoque de remédios, médicos, atendentes e odontólogos e que prestarão atendimento médico e odontológico diariamente.

O que mais chamou a atenção, foram os relatos de antigos moradores e lideranças dos distritos, segundo os quais,  em Vale Verde, por exemplo,  o mesmo e precário posto, havia 30 anos sem sofrer uma reforma razoável.

Na Agrovila,  conforme depoimentos que irão ao ar nesta segunda-feira, tanto no blog como nas rádios FMs, o abandono se dava há exatos 26 anos, com o posto vivendo em situação precária.

Hoje a realidade é completamente diversa. Quem tiver a oportunidade de conhecer os dois postos de saúde, que faça questão de conhecer, apenas para ter uma pequena ideia do capricho e do esmero dispensados às duas importante obras, sendo que  mais 11 postos de sáude, nos mesmos moldes, estão sendo construídos no município, além do Lacen e da sede da Samu.

São as mjulheres fazendo a diferença em Porto Seguro. E que diferença!!! Parabéns à prefeita Cláudia Oliveira, à secretaria Edna Alves, a todo o pessoal do SUS e àqueles que fizeram um sonho virar realidade.

Só os distritos, completamente abandonados e esquecidos por décadas, sabem o significado de poder contar com um posto de saúde e os atendimentos médicos e odontológicos dentro de instalações dignas e modernas.

Vejam as fotos e a qualidade dos postos entregues à população. Show de bola!!!

29/09/2014
por Miro
Mais revelações sobre o caso dos professores (parte II)

 

Dando  sequencia, prosseguimos com nosso trabalho e relatos. As principais descobertas feitas pelo jornal, no caso dos professores, todas devidamente documentadas ou gravadas,  e entregues por mim à Polícia Civil, ao MP, à Polícia Federal e ao Judiciário, foram:

- Um email enviado pelo então delegado Renato Fernandes, segundo o qual "tudo teria sido uma farsa montada pela polícia. Marcelo e  João foram presos por mim, após eu ter monitorado as escutas deles por seis meses, antes e depois das mortes dos professores, através de ordem judicial. Eu entreguei este inquérito policial concluso ao Ministério Público, recheado de escutas e provas " garantiu-me o delegado.

 -  Ainda descobrimos e anotamos as revelações  do ex-advogado dos traficantes Marcelo Caolho e João d´ Ajuda, os únicos a acusar Edésio e os PMs, primeiro,  eles declarando  que não havia relação nenhuma entre os assassinatos e a morte de Pequeno e que Edésio e os PMs  nada tinham a ver com o caso dos professores; depois, já num segundo depoimento totalmente contraditório,  disseram  que "ouviram falar" que eles estariam envolvidos; para depois, em juízo, declararem que Sandoval e Rodrigues teriam sido, de fato,   os autores, a mando de Edésio.

Confrontados pelos advogados de  defesa, tanto Marcelo como João caíram em diversas contradições. Não se entende até hoje por que o juiz Roberto Freitas não deu ordem de prisão em flagrante à dupla de farsantes, já que ficou evidente que ambos mentiam e se contradiziam a todo instante em seus depoimentos.

 Segundo o conhecido advogado criminalista Jarbas de Abreu, ele foi o primeiro a chegar na DP de Eunápolis para defender seus antigos clientes, Marcello e João, ocasião em que o delegado Evy teria chamado as mulheres de ambos, dentro de uma sala da DP de Eunápolis,  exigindo que elas mudassem de advogado, tirando o advogado Jarbas da defesa, e indicando o ex-delegado Rubem Patury para assumir o seu lugar.

Ainda de acordo com Jarbas, a acusação contra seus clientes era outra, eles foram presos devido à posse ilegal de armas e tráfico de drogas. Segundo o delegado Renato, em seu email mandado ao jornal Topa Tudo, a dupla estava sendo monitorada há 6 meses, através de escutas telefônicas, autorizadas pela Justiça.

Estranho, portanto, que se eles soubessem algo sobre as mortes ou tivessem sido realmente procurados por Sandoval e Rodrigues para matar "os professores" nunca tenham conversado nada nos seus telefones sobre os convites e as pressões recebidas pelos policiais, conforme sustentaram em juízo.

Cadê  as  escutas do delegado Renato?

Pergunta-se: cadê o inquérito policial e as gravações dos telefonemas trocados entre as testemunhas Marcelo Caolho e João d ´Ajuda?   Aliás, foram, segundo o delegado, centenas de telefonemas trocados antes e depois das mortes dos professores. Será que nenhuma palavra sequer sobre os crimes ambos teriam trocado, já que, segundo eles, mandavam e desmandavam nas polícias  de Porto Seguro e tinham acesso à todas as informações policiais? Cadê, afinal, o conteúdo  de tais escutas e que compuseram o Inquérito Policial conduzido pelo então delegado Renato?

Matar "os professores"?

Sendo, por óbvio,  que Elisney morreu por acaso e, como simples secretário da APLB,  não estava exercendo atividade sindical capaz de despertar o desejo de alguém matá-lo. Por que, pergunto novamente, então, eles teriam sido convidados a matar "os" dois professores? Afinal, o que Elisney teria a ver com a APLB ou o que ele saberia  de algo tão grave capaz de despertar a fúria dos supostos mandantes? Nunca existiu nenhuma denúncia feita ao MP por Elisney, sendo que todas denúncias, segundo o MP, bombásticas de Álvaro, absolutamente todas, foram investigadas pelo MP e arquivadas por falta de provas.  Por acaso, estou a mentir, senhores promotores e policiais de Porto Seguro?

 "São dois mentirosos contumazes, eles mentiram nas acusações, Marcelo é mestre na mentira.  pois fui de madrugada para defendê-los e, chegando na DP, não me falaram nada do caso dos professores. Eles nem conheciam ou tinham contato com Edésio. Esta acusação feita por eles contra Edésio e os PMs  não procede. Se procedesse, eu seria o primeiro a saber. Só não posso falar mais sobre eles por uma questão de ética profissional", alegou e alega  o ex-advogados dos dois traficantes, para quem ele advogou por muitos anos.

Mais descobertas

O jornal Topa Tudo descobriu muito mais:

-  Uma declaração feita pelo ex-delegado da Polícia Federal, hoje o advogado Rubens Patury, segundo a qual eles mentiram diversas vezes em seus depoimentos. "Cada vez que eu ia na DP eles tinham uma versão diferente. São dois mentirosos e sem credibilidade", sustentou, muito revoltado,  o advogado,  à época, oportunidade em que teceu duras críticas ao delegado Evy Paternostro e ao promotor Dioneles Santana.

- Localizados e contatados por nossa  reportagem investigativa,  Danilo Leite, preso neste sábado, garantiu (veja vídeo abaixo)   foragido e localizada por mim na cidade Belmonte, onde o escutei, que as denúncias  formuladas à época não se sustentavam: "Isso tudo é armação. Eu apenas  estava no bar na hora que mataram Pequeno, que era inimigo jurado de morte por Rodrigo Terceiro e Marcelo Caolho, e  ele - Pequeno-  jamais contrataria Rodrigo Terceiro para matar os professores,  pois eles eram inimigos. O que houve no bar Brasileirinho foi uma rixa entre eles, eu estava presente, mas não teve nada a ver com o caso dos professores" declarou Danilo.

Outro ponto que chamou a atenção da nossa reportagem, foi que conseguimos contato, à época, com o outro acusado pelas mortes dos dois professores, Antonio Andrade Junior, que deu um depoimento em juízo, se apresentou à polícia, passou 30 dias preso, mas foi liberado pelo juiz Roberto Freitas.

Antonio Andrade Júnior é nada menos que o primo do traficante Marcelo Caolho, principal testemunha do MP. A revelação, espontânea, e feita por Junior - depois  também confirmada em juízo -  na minha presença e na presença de mais quatro advogados, foi que "A  morte de Pequeno não tem nada a ver com queima de arquivo ou acerto pelas mortes dos professores. Eu estava presente e vi quando meu primo, o Marcelo  Caolho, pediu e entregou a pistola para Rodrigo  Terceiro matar Pequeno. Isso aconteceu porque Pequeno estaria mexendo  com a  mulher de Marcelo. Não existe nenhuma ligação entre os crimes dos professores e a morte de Pequeno. Depois de Marcelo ter mandado matar Pequeno, ele mesmo mandou matar  o Rodrigo Terceiro, como queima de arquivo", alegou Junior, conforme matéria publicada pelo jornal Topa Tudo à época

Esclarecimento

À época, o jornal Topa Tudo também conseguiu acesso ao Inquérito Policial que apurou a morte dos professores, assim como teve acesso ao conteúdo de todas as escutas telefônicas dos acusados, bem como ao Inquérito Policial Militar que investigou a conduta dos PMs acusados, absolvendo-os de todas as acusações e confirmando todas as descobertas feitas pelo jornal. Nada, absolutamente nada, exceto os depoimentos mentirosos e contraditórios dos dois traficantes, foi apresentado ou confirmado nos dois IPs.

Ou seja, os únicos "indícios" que fundamentaram a pronúncia do juiz Roberto  Freitas dos três acusados nos crimes - Edésio, Sandoval e Rodrigues -  a júri popular, foram os dois depoimentos, sem qualquer outra descoberta, por mínima que fosse, que pudesse reforçar a tese da acusação.

Pelo contrário, a única coisa  que se viu na acusação e nos autos processuais foi um emaranhado de contradições, desmentidos e aberrações que contradizem tudo aquilo que se espera de um ordenamento jurídico dentro de um Estado Democrático de Direito. Nossa autoridades cederam ao clamor popular, esquecendo que tal clamor era orquestrado por grupos que desejavam a todo custo a tirar o ex-prefeito Abade da prefeitura.

Mais revelações

Também chamou a atenção da nossa reportagem o depoimento da mãe do professor Álvaro, que declarou em juízo que entre a chegada do seu filho e de Elisney no sítio, teria levado entre dois e três minutos - contrariando a acusação de que foram recebidos à bala -  e que uma enfermeira da Clínica Nossa Senhora d´Ajuda havia lhe dito que Álvaro apresentava uma grande e forte mancha roxa na região escrotal, fruto, possivelmente,  de uma luta corporal travada entre o professor e seus assassinos.

A mãe do professor também revelou em seu depoimento que os assassinos eram pessoas magras, mal encaradas, estariam drogados e usavam tatuagens.

Afora isso, Marcelo Caolho garantiu em seu depoimento que tinha todos os encontros mantidos com os policiais gravados por câmaras de segurança. Apertados  pelo juiz e pelos advogados, se contradisse inúmeras vezes e acabou dizendo que "apagou as imagens do seu computador" por falta de espaço na memória.

Teria,  justamente um traficante metido a sabido, diversas imagens das reuniões e pressões recebidas pelos PMs, a mando de Edésio,  material que certamente incriminaria o grupo pelo resto da vida - quem sabe obrigando os PMs a lhes dar cobertura em suas ações criminosas relacionadas  ao tráfico? - e eles deletariam justamente estas imagens altamente comprometedoras? 

Os vários depoimentos

Outra verdade sobre o caso é que primeiro os traficantes, ao deporem, disseram não ter conhecimento sobre as mortees dos professores e que não conheciam Edésio. Depois, disseram que ouviram falar, na "malandragem" que eles poderiam estar envolvidos. No final, em seu depoimento ao juiz, ambos traficantes foram categóricos ao apontar Sandoval e Rodrigues como os assassinos, a  mando de Edésio.

Ou seja, da acusação inicial feita pelo MP, no próprio processo os depoentes garaantiram  que tinham certeza que os PMs teriam cometido os crimes.

Só que existe um detalhe interessante e que desmente toda esta acusação:  no depoimento da mãe de Álvaro e do irmão, eles garantem que os assassinos eram magros, mal encarados, estavam drogados, queriam dinheiro e reviraram toda a casa,  e que tinham muitas tatuagens.

Ocorre que sendo verdadeiros os depoimentos de Marcelo e João, de que os PMs teriam sido os autores, tal revelação revela-se um grande mentiras, eis que tanto Sandoval como Rodrigues são fortes e nenhum deles possui tatuagens. Como poderiam ter sido eles os autores, então?

Além disso,  no dia dos crimes, no mesmo horário, Sandoval se encontrava viajando,  na companhia da mulher e das filhas  - conforme apurado pela reportagem - sendo que Rodrigues estaria na companhia do ex-prefeito Gilberto Abade, juntamente com vários vereadores, num enterro no Parque Ecológico, enquanto Geraldo Caveirinha - inicialmente apontado pelo MP como um dos envolvidos e depois excluído do processo e das suspeitas, mas que ficou preso por 8 meses - estava dirigindo um carro da PM, na companhia do então coronel Mauricio Nunes.  Estando todos, portanto, impossibilitados de terem participado das mortes.

Estranha que nem o então comandante do 8º Batalhão da PM, Maurício Nunes, o então prefeito Abade e os vereadores, assim como o ex-delegado Renato Fernandes, e que poderiam atestar  e confirmar o álibi dos PMS acusados, não tenham sido ouvidos pela Polícia e pelo MP, antes do juiz decretar a prisão do acusados, e que passaram 8 meses presos, tendo o Inquérito Policial Militar, todas,  juntamente com as escutas, os absolvido das acusações.

Quem estaria mentindo: uma comissão formada por oficiais da PM, o delegado Renato, Abade e os vereadores, ou o testemunho de dois traficantes, e que mandaram matar Pequeno e  depois, segundo o próprio primo de um deles, teria mandado matar Rodrigo Terceiro - autor da morte de Pequeno - como queima de arquivo?

Deduz-se que, acuados com a possibilidade de serem descobertos como os verdadeiros responsáveis pelas duas mortes - a de Pequeno e de Rodrigo Terceiro - a dupla tenha planejado a farsa, após fazer um acordo com o MP. Tanto que assim que prestaram seus depoimento á Justiça, protegidos pelo MP, ambos foram soltos por ordem do juiz  no dia seguinte. saindo ilesos dos crimes praticados, bem como do IP - e das gravações telefônicas - a que respondiam por tráfico e comércio de armas,

Vale lembrar que as graves "denúncias" feitas por Álvaro, conforme já informado, todas foram investigadas por uma equipe especial do MP, todas foram arquivadas por faalta de provas. Estariam os promotores mentindo ou tentando anganar a população e dar proteção à admiinistração Abade?

Mas tem muito mais a ser revelado. Voltarei com novas e importantes  informações sobre o caso durante a semana. 

28/09/2014
por
Maria Menezes lidera campanha para Marina em Eunápolis e é provocada por petistas mal educados

A vice prefeita mostra que sabe reunir gente e que possui credibilidade na política. 

Maior nome do PSB regional, a vice prefeita de Eunápolis, Maria Menezes, promoveu um "adesivaço" no último sábado, tendo tido muita receptividade por parte da população. Segundo informações extra-oficiais, dada por um dos seus assessoores, pesquisa realizada pelo prefeito Neto Guerrieri aponta que Marina deve vencer na vizinha cidade.

De feio mesmo só a atitude antidemocrática de alguns integrantes do PT e que tentaram ofuscar o trabalho da vice prefeita, com provocações descabidas. Maria deve dar uma entrevista à Band FM na próxima terça-feira. (foto do Bahia 40 Graus)

28/09/2014
por
Polícia prende acusado de matar os professores Álvaro e Elisney (parte I)


Acusado de ser um dos assassinos dos professores, Danilo foi preso no último sábado

A matéria é longa, mas sou obrigado a redigi-la, mesmo que dividida em duas ou três partes, o que espero fazer ao longo desta semana. Quem tiver tempo, paciência e olhos para ler, que a leia,  e quem tiver ouvidos para escutar, que a  ouça. O assunto é sério e grave demais. Merece ser relembrado.

Acontece que depois de cinco anos passados das mortes dos professores Álvaro e Elisney, em bárbaro e intrigante crime que chocou a cidade em 17 de setembro de 2009, a Polícia finalmente prendeu, na manhã deste sábado, o suposto traficante Danilo Leite, acusado pelo Ministério Público de ser um dos autores dos crimes, juntamente, segundo o MP,  com o ex-motorista do ex- secretário Edésio Lima, o Pequeno  (já morto) de Rodrigo Terceiro (também já morto) e de Antonio Andrade Junior, e que se encontra em liberdade até hoje, depois de ter se apresentado à polícia, ter ficado preso  e ter sido solto após 30 dias. 

O caso, que pode servir como linha de raciocínio para qualquer advogado ou mesmo aluno do curso de Direito,  é uma verdadeira piada jurídica e policial, digna de entrar para os anais da história policial baiana. Danilo, como já dito,  foi preso neste sábado  com R$ 25.000,00 em dinheiro vivo e é acusado, além de ter matado os dois professores,  de ser um dos principais líderes do tráfico no Campinho.

Relembrando: o desafio continua

Vale relembrar que o jornal Topa Tudo, tendo à frente o seu diretor geral, Miro (que assina e se responsabiliza por esta e por  todas as demais  matérias anteriores  relacionadas ao caso)   sempre desmentiu, categoricamente, a hilária e totalmente contraditória tese de acusação formulada pelo Ministério Público, tendo desafiado, à época, a abertura de um Inquérito Policial que investigasse a conduta do jornal e de todas as informações  por nós levantadas, assim como autorizamos o MP a vasculhar nossas contas bancárias e a quebrar o nosso sigilo fiscal, telefônico  e de todos os nossos emails.

Assim posto, por ordem do juiz criminal André Strogenski, o IP, investigando a acusação que nos feita pelo Ministério Público,  por suposto falso testemunho, foi aberto e investigado pelo então delegado regional, Dr. Evy Paternostro, ocasião em que,  munido de diversos documentos, depoimentos, áudios e vídeos, , o jornal apresentou a sua versão para os crimes, sustentando, como ora sustenta e garante, sua tese de que uma grande farsa inquisitorial, política e policial sobre o caso foi montada.  

Queriam era tirar Abade

Desafiamos, sim, caro leitor. Desafiamos e reiteramos nosso desafio público ao Poder Judiciário, ao Ministério Público da Bahia, às polícias Civil, Militar e Federal, bem como a OAB, os acadêmicos da  Unesulbahia, a APLB, a rádio palanque e à todas as demais entidades civis e organizadas de Porto  Seguro, ao  reafirmarmos, mais uma vez,  a tese de que uma grande farsa, movida meramente por interesses políticos, foi engendrada para destituir do cargo o ex-prefeito Gilberto Abade, e , não conseguindo lograr êxito, o MP tratou, precipitadamente,  de tentar  incriminar, baseado tão somente no clamor popular, e incitado por teses que nunca se confirmaram e que jamais se confirmarão, o ex-secretário Edésio e os PMs Sandoval e Rodrigues, ou seja, as principais e inocentes vítimas do verdadeiro conto da carochinha que foi passada à população de Porto Seguro.

Edésio diz que quer justiça

Contatado por nossa reportagem neste domingo, o ex-secretário se  diz esperançoso de, a partir da prisão de Danilo, que o caso possa ser esclarecido. "É estranho que somente 5 anos depois das mortes dos professores, somente agora a polícia tenha prendido Danilo, e que possuía três mandatos de prisão. Também é muito estranho que o outro acusado de ter participado dos crimes, o Júnior, tenha se apresentado à polícia, tenha sido preso e tenha permanecido apenas 30 dias na prisão. Agora chegou a hora da polícia dar uma solução para este caso, fazer as acareações e saber se aconteceu de fato aquilo que o MP me acusou. Eu me coloco à disposição da Justiça para ajudar a esclarecer esta acusação. Também no próximo dia 14 o promotor Dioneles estará sentado no banco dos réus, acusado de ter divulgado dados sigilosos e totalmente invertidos da minha movimentação bancária. O Pleno do Tribunal de Justiça da Bahia acatou a denúncia formulada pelo Procurador Geral da Bahia contra o promotor por unanimidade, deixando claro que ele extrapolou sua função ministerial e que deverá ser duramente punido. Eu quero justiça e que o caso seja resolvido. A oportunidade é agora, com a prisão de Danilo" garante Edésio.

Os fatos

Não é para menos. Senão, vejamos, Segundo a acusação inicial feita pelo MP, os professores teriam sido vítimas de um crime de mando político e atraídos para uma emboscada na Roça do Povo, ocasião em que teriam sido chacinados à bala, de emboscada, sem chances de defesa, ou seja, foram fuzilados  imediatamente, assim  que chegaram ao sítio da mãe de Álvaro. Segundo a acusação, os professores foram recebidos à bala por Pequeno, Rodrigo Terceiro, Junior e Danilo Leite, tão logo desceram do carro.

Aliás, é bom lembrar, que antes mesmo de terem se iniciado as investigações policiais, a APLB, respaldada e defendida ardorosamente pela rádio do ex-prefeito Ubaldino Júnior, emitiu nota (nesta semana apresentarei a nota divulgada pela APLB) alegando que o crime fora mesmo de mando político. Isso já na manhã seguinte a tragédia, garantindo isso abertamente, baseada tão somente nas fofocas e disse me disse que rolavam na cidade, e que eram difundidas  à exaustão por ubaldinistas e janistas, todos ávidos pela queda de Abade.

Acontece que ao se debruçar sobre o Inquérito que apurava tais mortes ( e após recusar propostas tentadoras de que encampássemos a tese que circulava na cidade) nossa reportagem, em especial o autor desta matéria,  se deparou com uma série de contradições, as quais, resumidamente, passarei a expor ao longo da semana. Voltaremos ao assunto. 

23/09/2014
por Miro
A farsa contra Rui Costa

 

Esta postagem aqui eu “chupei” do blogueiro Cezar Aguiar pelo simples fato de acreditar, piamente, naquilo que me cheira como uma grande farsa eleitoral,  contra o candidato Rui Costa, faltando  praticamente 15 dias para as eleições.

Embora eu não coloque a mão no fogo por ninguém na política, verdade é que, conforme apontado pelo Cezar, não pode ser levada a sério uma pessoa como esta tal de Dalva, ainda mais envolta nos 10 questionamentos feitos pelo blogueiro.

Fala sério, caro leitor, tem pilantragem e o$ dedo$ de Geddel e Paulo Souto nesta  acu$ação ou não tem?  Por que só agora, à beira da eleição, tal "denúncia" foi feita? E a mulher ainda foge para o exterior? Com que dinheiro? Quem bancou a tal "denúncia"? Cadê as provas?

Veja, abaixo,  a postagem interessante do Cezar:

"Meu trabalho de advogado de Rui Costa...

Quem é Dalva Sele Paiva, a misteriosa testemunha da Veja?

1) Responde a 17 processos na Justiça.
2) Sócia do Instituto Brasil, contratado pelo Governo Paulo Souto em 2006. Tá no Diário Oficial de 25/04/2006.
3) Descoberta por ter usado notas fiscais frias em Auditoria do Governo Wagner em 2010.
4) Teve os bens bloqueados pelo Ministério Público Federal.
5) Prometeu se vingar do PT.
6) Tinha dívidas há mais de um ano no seu condomínio.
7) Deu entrevista à Veja sem qualquer documento que comprovasse sua denúncia.
8) Pagou todas as dívidas e saiu do país antes que a matéria fosse publicada.
9) No seu Facebook, dizia que trabalhava na Prefeitura de Salvador, tirou ontem a página do ar, mas não contava que os prints do perfil já estivessem nos blogs.
10) Foi convocada para apresentar provas pelo Ministério Público mas não se apresentou, pois só volta, adivinhe: depois das eleições.
"
 

ESTÚDIO BAND - AO VIVO



PUBLICIDADE
CLASSIFICADOS
BUSCAR NOS CLASSIFICADOS






PASSANDO A LIMPO # 03-09-2014 RADIO BRILHO DO SOL * MIRO PAUTZ COMENTA LIBERAÇÃO DA CANDIDATURA DE ROBERIO A DEPUTADO E ARQUIVAMENTO DE PROCESSO.


PASSANDO A LIMPO # 18-08-2014 RADIO BRILHO DO SOL * DANILO SUPRILAR DEIXA A BASE DO GOVERNO EM PORTO SEGURO ATIRANDO; MIRO PAUTZ COMENTA POSTURA "VARIÁVEL" DO VEREADOR E FALA SOBRE O QUE ESTÁ POR TRÁS DAS ATITUDES DO EDIL.


PASSANDO A LIMPO # 23-09-2014


PASSANDO A LIMPO # 26-08-2014 * MIRO PAUTZ FAZ COMENTÁRIOS SOBRE ATAQUES AO GOVERNO E SUPOSTAS DENÚNCIAS ANUNCIADAS PELO GOVERNADOR DANILO SUPRILAR.


BAND NOTICIAS # 30-09-2014 DELEGADO ESPECIAL ÉLVIO BRANDÃO FALA SOBRE INVESTIGAÇÃO DA MORTE DO EX-PREFEITO RIELSON LIMA. VOCÊ TAMBÉM FICA POR DENTRO DA INAUGURAÇÃO DAS NOVAS UNIDADES DE SAÚDE DOS DISTRITOS DE VALE VERDE E IMBIRUÇU E DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS


BAND NOTICIAS # 26-09-2014* OUÇA: PESCADORES DE PORTO SEGURO GANHAM MAIS 10 BARCOS DE FIBRA DE VIDRO;BANCÁRIOS SINALIZAM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO; JR DAPÉ E SECRETÁRIOS CONDENADOS POR DESVIOS NA PREFEITURA E ASFALTAMENTO DE RUAS EM TRANCOSO.


PUBLICIDADE
ENQUETE
Como você avalia atualmente o trabalho realizado pela prefeita Cláudia Oliveira?

Excelente
Bom
Regular
Ruim

     

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VERSÃO ANTERIOR
- Rede Topa Tudo
- Blog do Miro